Marca pessoal x marca corporativa

por | 10/02/2021 | Empreendedorismo

Essa semana falei sobre os 4V’s do branding nas minhas redes sociais (aqui). Através desse tema, surgiram dúvidas e comentários diversos. Por isso, resolvi montar um conteúdo que complementa o assunto aqui no blog.

Com tantas definições e ramificações dentro do mundo do branding, pode ficar um pouco confuso definir o que é a sua marca pessoal e a sua marca corporativa — ou seja, como você se vende como pessoa e como sua empresa se vende. Mas, antes de se desdobrar em “múltiplas personalidades”, quero provocar o questionamento: 

Será que essas duas coisas são tão diferentes assim?

A verdade é que elas andam juntas. Não é possível existir uma sem a outra. Explico porque: para fundamentar o branding de uma marca, precisa existir uma forte cultura organizacional. Mas ela só vai existir se houver uma liderança consciente. Ou seja, por trás daquela cultura está uma pessoa que acredita no que está fazendo. Que reproduz seus valores pessoais tanto dentro quanto fora de sua empresa. Só assim uma cultura será consolidada e reconhecida como parte do DNA da marca.

Logo, a marca pessoal de quem está por trás da organização interfere (e muito) no fortalecimento da própria marca corporativa. Empresas de sucesso carregam valores em todos seus produtos e serviços. Eles estão ali desde o começo porque são características que os próprios fundadores observaram em si, são traços de suas personalidades que eles acreditam serem fundamentais na hora de criar, desenvolver e manter a sua marca. É por isso que tanto o branding pessoal quanto o corporativo funcionam juntos: eles estão alinhados com os mesmos propósitos.

Nesse processo, é fundamental que os líderes saibam se comunicar e se relacionar com os públicos que envolvem a organização para transmitir os valores da marca. Se um líder não for percebido como líder, dificilmente uma cultura se instalará. O líder é o exemplo, transmite personalidade, precisa ser um influenciador. Por isso a necessidade do trabalho de marca pessoal e da presença da liderança. Todo mundo precisa desenvolver sua marca pessoal de forma consciente, e se comunicar de forma clara, concisa, concreta, correta, coerente, completa e cortês, de acordo com os 7Cs da comunicação eficaz (próximo tema que irei abordar nas redes sociais, já segue por lá). 

E isso é uma construção. Uma coisa não existe sem a outra. 

Inclusive, as ferramentas de gestão são muito semelhantes, pois para cada marca pessoal ou empresária existirá um plano de comunicação único, singular. Afinal, marcas são pessoas e pessoas são marcas. Isso é especialmente verdade nesse caso, em que falo da sua marca pessoal e a sua marca corporativa: você pode e deve se “misturar” à sua marca, no sentido de que as duas devem estar traçando o mesmo caminho, usando dos mesmos valores e almejando o mesmo objetivo.

Inscreva-se abaixo para receber notificações de novas publicações  como essa.

    CONTINUE LENDO

    Aprendizagem Transformadora

    Era a primeira vez que eu estava propondo um trabalho em dupla, a quem chamarei apenas de pessoa.  Achei que formávamos uma parceria perfeita, mas, senti seu desconforto quando me evitou, dando uma desculpa esfarrapada para cair fora. Sim, aquela pessoa a quem eu...

    DANCING WITH THE DEVIL – RESENHA

    DANCING WITH THE DEVIL – RESENHA

     Demi Lovato é uma artista norte americana que dedicou às últimas décadas da sua vida a falar e inspirar jovens do mundo todo (diretamente ou indiretamente) sobre a busca do cuidado para a saúde mental e a busca do tratamento para vícios em drogas mas para Demi Lovato...

    POR QUE VOCÊ TEM MEDO DO AMOR?

    Por muito tempo eu achei que o amor não era para mim sabe? Não por não ter amor dentro de casa, eu fui e ainda sou muito amado por meus familiares, chego até pensar que sou amado demais por eles. Mas a minha luta com o amor é uma guerra de longas datas, acredito que...