Growth hacking: conheça a estratégia de crescimento exponencial

por | 21/01/2021 | Empreendedorismo

Você já ouviu falar sobre Growth Hacking? O que faria se soubesse que existe uma estratégia capaz de acelerar o crescimento do seu negócio?

 

Hoje vou falar um pouco sobre o que podemos aprender e como podemos aplicar no desenvolvimento de uma empresa.

 

Growth Hacking é um termo cunhado por Sean Ellis. Uma estratégia que pode ser chamada, segundo o autor, de marketing orientado a experimentos. Seu objetivo é encontrar oportunidades visando resultados rápidos para o crescimento (growth) da empresa.

 

Isolando as palavras do inglês, temos:

 

Growth = crescimento.

 

Hack = brecha, espaço, corte.

 

Hacking = o ato de encontrar e explorar essas brechas e espaços.

 

Essa estratégia, então, é desenvolvida pelos chamados growth hackers, profissionais especialistas em marketing ou em tecnologia que buscam táticas (ou “brechas”) para o crescimento escalável de uma marca, de um aplicativo, de uma empresa ou, até mesmo, da conversão de vendas de um produto.

 

Eles basicamente procuram formas inteligentes de aplicar as ferramentas que todo mundo usa, mas de um jeito diferente e que acabe causando um grande impacto nos resultados, tais como: ferramentas de tráfego, de conversão de vendas ou até mesmo de aquisição de leads e usuários.

 

Basicamente, é encontrar maneiras inteligentes de testar os limites das ferramentas do mercado. Buscar não fazer aquilo que todo mundo faz, mas procurar estratégias que gerem um crescimento escalável.

 

Mas não existe milagre!

 

Muitas pessoas associam Growth Hacking a mágicas como “trocamos a cor do botão e triplicamos a geração de leads”.

 

Sim, isso pode até dar certo. Mas nenhum resultado dessa amplitude se conquista da noite para o dia, muito menos sem estudar e embasar bem as hipóteses.

 

Para alcançar resultados diferentes, você precisa fazer coisas diferentes do que todo mundo está fazendo. Quando todo mundo utiliza a mesma estratégia da mesma forma e com a mesma metodologia, a probabilidade é que a sua estratégia fique anulada. O Growth Hacker quer justamente se destacar na multidão.

 

Hackear nada mais é do que você resolver um problema de uma forma mais eficiente ou mais criativa. Vale lembrar que não estou falando aqui sobre o termo popularmente usado para definir especialistas em computação que utilizam o alto conhecimento para cometer crimes virtuais, ok?

 

E você pode conseguir fazer isso mesmo usando as ferramentas convencionais: redes sociais, marketing de conteúdo, e-mail marketing, publicidade, propaganda, vídeos no Youtube. O segredo não está nas plataformas, mas justamente na forma de utilizá-las.

 

E para isso você precisa conhecer bem o seu público, as estratégicas do seu mercado e saber fazer coisas que realmente chamem a atenção.

 

O Growth Hacking não é uma caixa com truques que resolverão todo o seu problema, e sim um processo científico de hipóteses e testes, tanto no seu produto, quanto no seu marketing, quanto no seu processo de vendas.

 

E você vai encontrar o seu hack (brecha) direto do zero?

 

Não.

 

Você vai precisar realizar testes; é aqui, que entra um pouco o seu lado de cientista e pesquisador. Você precisará formatar testes e pensar muito bem nas métricas que vai usar, como faturamento, compra, vendas, acessos, leads, taxa de conversão, entre outros.

 

Primeiro, você vai estruturar esse processo de vendas, depois testar, então aprender.

 

Testar de novo, errar, acertar, errar, acertar.

 

É esse ajuste fino, essa calibragem que é em tese o Growth Hacking.

 

Alguns exemplos de empresas que fizeram uso dessa estratégia.

 

Hotmail: em 1990, quando a internet tinha apenas 7 milhões de usuários, a companhia descobriu um jeito de escalar seu negócio muito maior do que qualquer tipo de mídia.

 

Colocaram lá na assinatura do e-mail:

 

Ps: eu te amo, assine o Hotmail: o e-mail de graça.

 

Só com essa assinatura eles conseguiram chegar a 1,2 milhão de usuários, pode parecer pouco hoje, mas na década de 90 era 1/7 da internet.

 

McDonald’s: um exemplo fora do mundo digital, é o da maior rede de hambúrgueres no mundo que nos anos 50 conseguiu um jeito de colocar arcos dourados gigantescos em lugares estratégicos entre a cidade e a estrada para ter mais visibilidade e atrair mais clientela. Uma nova proposta de valor pra vender sanduíche.

 

Isso significa que você vai fazer pequenas apostas, jogar pequeno e vai ter uma pequena vitória, e a aposta que você viu que deu certo, você vai dobrar no ciclo seguinte. Você vai apostar em canais ou em tipos de abordagens que já validou e deu certo.

 

Testou, não deu certo? Não tem problema, você pode aprender com aquele teste ou então adaptá-lo e transformá-lo em outra coisa.

 

Conhecimento só não basta, você vai precisar colocar em PRÁTICA, medir, analisar e aprender. É um ciclo. Você constrói, você planeja, você executa, você mede, você aprende e faz tudo novamente.

 

E então? Você já conhecia essa estratégia?

    CONTINUE LENDO

    Aprendizagem Transformadora

    Era a primeira vez que eu estava propondo um trabalho em dupla, a quem chamarei apenas de pessoa.  Achei que formávamos uma parceria perfeita, mas, senti seu desconforto quando me evitou, dando uma desculpa esfarrapada para cair fora. Sim, aquela pessoa a quem eu...

    DANCING WITH THE DEVIL – RESENHA

    DANCING WITH THE DEVIL – RESENHA

     Demi Lovato é uma artista norte americana que dedicou às últimas décadas da sua vida a falar e inspirar jovens do mundo todo (diretamente ou indiretamente) sobre a busca do cuidado para a saúde mental e a busca do tratamento para vícios em drogas mas para Demi Lovato...

    POR QUE VOCÊ TEM MEDO DO AMOR?

    Por muito tempo eu achei que o amor não era para mim sabe? Não por não ter amor dentro de casa, eu fui e ainda sou muito amado por meus familiares, chego até pensar que sou amado demais por eles. Mas a minha luta com o amor é uma guerra de longas datas, acredito que...